terça-feira, 15 de setembro de 2009

Como categorizar uma geração? Geração X, Y e Z | Geração Coca-Cola, Geração Copia e Cola

Você sabe o que cada geração acredita? Quais seus ideais? Não? Então termine de ler o post.

Não descreverei aqui quem foram os autores desses termos, nem sua origem(talvez em outro post). Apenas o significado de cada uma e como cada uma entra em choque ou contribui com a outra.Isso de dividir gerações funcionou pelo menos nos EUA; Posso estar falando a maior besteira para o Brasil. Mas agente pega o cabinho. Em outros países depende muito da cultura.

A décade de 60 é a década da contra-cultura, quase tudo que os pais falavam os filhos queriam contestar. Talvez porcausa da ditadura nas Américas, da Guerra no Vietnã, guerra a qual fez com que grupos como Hippies, rockeiros e outras tribos (se é que pode falar assim) ficassem revoltados, e inspirados a ir contra o sistema.

A década de 70 foi um pouco diferente. Com o fim da Guerra, as pessoas queriam dançar ao som da Disco Music, e começaram a se preocupar mais com a cabeleira black power do que realmente viver o verdadeiro significado de ter um black power. Claro que os jovens ainda usavam sim drogas (até hoje alguns), mas não como forma de atacar diretamente o sistema. O negócio nos anos 70 foi segurar o filho para que ele não saísse para dançar toda sexta e sábado.

A década de 80 pegou carona na futilidade dos anos 70, e agora considerada a década perdida por não ter mais a "causa" pra lutar. Todavia os jovens, aqui no Brasil, lutaram pelas diretas-já, porém começavam a ficar já "alienados" ao sistema depois que a ditadura acabou. Se a geração anterior batia de frente ao sistema, essa nova geração, conhecida como geração Y (a de 1984 até final da 90) simplesmente ignorou o sistema. Além do mais, os filhos começaram a ter cada vez mais as coisas nas mãos, à mão beijada. Falo isso porque sou dessa geração. A juventude prolongou-se. Demora-se para o indivíduo sair de casa. Jovens praticamente adultos preferem viver com os pais do que sair a luta sozinho.

Tem também a nova última geração( Geração z, Geração Copia e cola) que tem surgido e que também pegou carona. Essa pelo contrário da anterior é totalmente contestadora, inquieta, por incrível que pareça. São os hiperativos. Adoram tecnologia, ou então sabem usar como ninguém desde aos poucos anos de vida. São pró-ativos, não aceitam respostas automáticas, apesar de não gostarem muito de refletirem. São práticos, e tem sido os mais criticados pelos RHs das empresas. Se elas já reclamavam do perfil da Geração Y, agora ela está atormentada. Não existe hierarquia na cabeça desses jovens. Eles são anárquicos? Bem, quase sempre, eles possuem valores que as gerações anteriores não conseguiram captar e terão que aprender também. Além do mais, os mais velhos precisam dos mais jovens. E também vice-versa.

7 comentários:

adenilson disse...

haha eu sou da gerção michael jackson
alçías o professor do post abixo merece um oscar ou premio nobel do gelol 2009
o//
abraços
ótima terça/quarta
=]

adenilson disse...

haha eu sou da gerção michael jackson
alçías o professor do post abixo merece um oscar ou premio nobel do gelol 2009
o//
abraços
ótima terça/quarta
=]

Srta.Lua disse...

eu acabo me misturando a quase todas, no caso de não sair da casa dos pais para terem uma vida própria, eu até teria "condições" pra fazer isso, o problema é: meus pais precisam de mim, e isso me complica! :S bjos

adenilson disse...

por aqui tdo indo
estou indo comer
pra dps ir dormir
aisjioasja mentira mas comer eu vou
dps volto
e por ai como vão as coisas!?.

Renan Barreto disse...

Não está errado não Douglas. Vc está certíssimo. Lógico que está faltando uns termos aqui ou ali, mas é porque vc colocou um post curto. Mas para o que se propôs está ótimo. Acho que vc tocou em pontos excelentes. E gostei e me surpreendi por vc ter tocado nesse assunto que eu, particularmente adoro, porque mistura sociologia, antropologia, marketing e psicologia. Acho que a geração Y somos nós mesmo da forma que agimos. Somos multimidia e entendemos como a engrenagem funciona. Não vou explicar tudo isso nesse comentário, porque é impossivel, mas quero que saibas que está ótimo!

Traga mais posts assim!

Leandro Correa disse...

Cara, eu devo ser da geração copia e cola, já que sou de 93, mas acho isso tbm. Estamos bem presos a esteeriótipos pra peceber que cada um tem o seu pensamento, e dentro da minha geração me considero até um chato, por não ser do movimento ctrl+c ctrl+v.

Um abração. Adorei o poost;

Leandro Zayd disse...

Como nasci bem no meio do X e Y, tenho um pouco das duas características (na genética, XY determina o sexo masculino na espécie humana, o que não vem ao caso mas serve tmb), mas sou bem inquieto e anarquista. Porém, não sei se a geração copia e cola é a mais inquieta, já que foi dela a explosão dos EMOs, que como estilo de vida, os deixa muito mais preocupados com seu mundinho egocêntrico superficial que com a totalidade dos problemas mais profundos gerados pelo sistema. Sei lá, parece que copiam e colam mais chapinha que protestos... ao contrário dos punks, que também tinham um visual bastante distinto