domingo, 27 de fevereiro de 2011

Filme Bruna Surfistinha: sexo, droga, balada na LoveStore de São Paulo e música do RadioHead no final

A história de Raquel que começa a se prostituir aos 18 anos, sem precisar.

Morava em uma família de classe média. Apresentou ser a Boqueteira da escola e tinha um irmão que sempre desfazia dela.

Raquel sai de casa e conhece o espaço Privê, um lugar que divide a convivência com outras garotas de programa. Resolve daí ser chamada de Bruna já esquecendo a vida de Raquel.

Com o tempo, Bruna é fidelizada por 70% dos cliente do Privê, o que acaba criando despeito por uma das colegas.

Todavia Bruna acaba sendo expulsa por outro motivo: admitiu ser dona de um saquinho cheio de cocaína. Outra colega também admite ser dona do conteúdo e as duas, então, são expulsas da casa.

Bruna estava em seu auge, tinha conhecido uma amiga na LoveStore (os dois coraçõeszinhos em frente ao lugar não negam).

Essa sua nova amiga a despertou para o programa com os magnatas. Bruna Surfistinha valia muito nessa época. Foi quando montou o blog sofisticado que até contava com sua avaliação sobre os clientes que transava.

Bruna contava ainda com uma assessora. Essa agendava os horários do programa enquanto ela dormia, usava cocaína, e trepava, claro.
Foi quando tudo passou dos limites. Bruna se viciou na droga e achava que podia demais. As contas ultrapassavam o patamar aceitável e os clientes começaram a minguar.

Foi então que Bruna Surfistinha teve que apelar a fazer programa por 20,00 para sobreviver. Ela que já deu por 300 ou até mais.

Nessa fase de falência, Bruna teve que abrir as pernas para homens de tudo quanto é espécie. Infelizmente Bruna ficou muito cansada (pra não dizer drogada) e teve que ser levada ao Hospital.

O filme tem uma temática que sempre choca: o sexo. Nesse ainda é o sexo por dinheiro, a ascenção financeira de uma prostituta e o declínio em drogas e luxo. O que o filme não mostra é as doenças venéreas que uma garota de Programa pode pegar. Contudo a película mostra que a vida pode não ser fácil nessa profissão: o envolvimento com drogas e o convívio com outras garotas que rouba é um exemplo.

No final, o filme fecha com "Fake plastic trees" da banda inglesa RadioHead. Música muito comovente e melancólica, liberada pelos ingleses.

3 comentários:

Samuri disse...

Bruna Suffistinha aproveitou bastante e depois de dar pra chuchu vira celebridade - deu pra mais de 1000 homens. E além e tudo se casa.

Denise disse...

Meu, sei lá. Nada contra ela, o que ela faz ou deixa de fazer é problema dela, mas fazer um filme sobre isso? Pelamor...

UITONIUS - Guigui Artista disse...

A análise deve enfocar o trabalho
da forma e o do conteúdo.
Quanto à forma a protagonista dá um
banho de interpretação (me surpreen-
deu) e quanto ao conteúdo, o tema é
-apesar de ser verídico- o dos mais
explorados comercialmente.
Tá dando bilheteria?
Isso é que importa para a produção.