sábado, 4 de junho de 2011

Filme Quebrando o Tabu tem FHC - documentário critica a política punitiva às drogas

Acabei de voltar do cinema. Assisti o filme Quebrando o Tabu - filme do irmão do Luciano Huck.

O filme mostra outra forma de encarar as drogas

Existe ainda muito moralismo e demonização desnecessárias e é preciso cautela ao falar de drogas para um filho. Veja bem, se um pai apenas dizer que droga faz mal, o filho pode achar que o pai mentiu porque seus amigos usaram e deu maior barato.

O que acontece no Brasil e no mundo inteiro é que as drogas sempre estiveram acessíveis - e bem sabemos que a dependência realmente faz mal a médio e longo prazo: vicia e adoenta as pessoas.

Contudo não é guerreando contra as drogas que se resolverá o problema. Dessa forma os traficantes só se armam mais e o viciado é apenas uma vítima que não consegue parar de ajudar o sistema.

Há algo similar na história. Os EUA proibiram o álcool na década de 20, gerando criminosos como Al Caponne.
Dráuzio Varella, médico exemplar, relata no filme casos de mulheres que vão levar drogas para seus maridos nas cadeias. Se forem presas, a situação se complica em casa. Os filhos podem se tornar marginalizados sem os pais.

É preciso que encaremos as drogas como saúde pública e não mais como algo amoral ou do demônio sobre a vida das pessoas... E essa nova forma de ver a situação tem trazido resultado em alguns países.

Na Holanda e na Suiça, por exemplo, os drogados são cuidados como pacientes. Drogas são oferecidas a pessoas dependentes para que não sofram de crise de abstinência. Com esse modelo implantado, esses países tiveram uma diminuição drástica de pessoas usuárias de drogas pesadas.

Uma verdade seja dita (e até mesmo o ex-presidente Fernando Henrique já detalhou isso muito bem no filme): É melhor oferecer drogas para um dependente em um lugar seguro e com acompanhamento médico do que expô-lo na busca por traficantes armados e alimentar esse sistema.

Existe uma frase que me chamou atenção no filme: Se não conseguimos acabar com as drogas em lugares fechados (como presídios, por exemplo) como poderemos acabar com elas em uma sociedade aberta? - Isso já fala tudo, não é verdade?

O filme poderia explorar melhor relatos de pessoas a favor da punição, contudo preferiu ficar com os relatos de Fernando Henrique (FHC), Dráuzio Varella e Paulo Coelho que são favoráveis a descriminalização da maconha - mas acredito que poderia desfocar o real assunto do filme que é vencer o tabu.

Muito bom o filme. Recomendo!

5 comentários:

Pierre disse...

Poow, pretendo LOGICAMENTE veer esse filme.
É um assunto que me interessa, e deveria interessar a sociedade toda, até porque é um assunto muito comentado !
-
Retribui a visita laa ;)
www.4e20natural.blogspot.com

Pierre disse...

Poow brother, quer fazer uma troca de banner ?
Se bah, da um toque laa
-
www.4e20natural.blogspot.com

Denise disse...

Eu não tenho opinião formada sobre legalizar, ou algo parecido, mas é óbvio que essa política de combate às drogas não está funcionando. Sou a favor do Estado fornecer drogas pesadas a quem não quer se tratar, mas retirar viciados, principalmente de crack, e agora pior ainda, oxi, das ruas. O 'Direito de se drogar' do viciado termina no meu direito de ter o meu local de trabalho/moradia preservado.
Também sou a favor da descriminalização da maconha, para que quem quer fumar compre suas sementes e plante em casa. Tudo muito simples. Afinal, qual é a diferença de chegar em casa e tomar um copo de whisky e de fumar um baseado?
Proibir tudo não adianta. Mas liberar geral também não acho que vai melhorar. O ideal seria uma política meio termo, e séria. Mas estamos no Brasil.. com tanta corrupção é difícil pensar que um dia esse assunto será abordado com a seriedade que precisa.

itor disse...

que absurdo, temos visto milhares de pessoas morrerem assassinados por causa desta porcaria e quem os maiorais deste país querem liberar geral eles deveriam estar elaborando métodos que diminuísse a entrada de droga no pais , a menos que eles queiram comercializar também pois são grandes proletários , e o pior o que faremos com os milhares de presos que foram presos por trafico de maconha , Lá tem malucos que se necessário enfiam o alicate na boca do individuo que os entregou e arrancam a língua fora , não são recuperáveis são malucos, e se eles saírem de la vão fazer o que , pela lógica, sab e o que ou quem é culpado pela estúpida situação das drogas no pais , são aqueles que são eleitos por nós e quando lá estão não querem saber das prioridades do pais mas se arrebentam atrás de cargos e de quanto de espaço seu partido vai ocupar no “mensalão “ porque é isto que os cargos públicos viraram. Enquanto isto os projetos estão parados , mas o reajuste milionário é votado a toque de caixa , isto lhes interessa . enquanto a cracolandia está escancarada para os visitantes da copa, os eleitos se matam porque depois que um certo homem conseguiu enriquecer em um lugar onde há dezenas de fiscais que falharam , querem saber de onde veio o dinheiro, os traficantes pensam tramam e conseguem colocar até policiais em suas tramas , vejam eles conseguem ludibriar policiais, os nossos governantes , não conseguem pensar nada mais de que liberar tudo , são os mais desmoralizados de todas as gerações.

Anônimo disse...

Desculpe amigo ai de cima, mas não é isso que diz as estatisticas .... acredito que esteja errado ...